quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Dinheiro e sombra

Você acha que todo mundo tem um preço?
A maioria das pessoas diz que não. "Sou invendável!" Dizem os enfáticos. "Isso é um absurdo!" Dizem os moralistas.
Mas quando olho as relações humanas um pouco mais de perto chego a uma conclusão (não definitiva) todo mundo já se vendeu alguma vez na vida.
Duvida?
Vamos aos fatos.
Você nunca perdeu a paciência e ficou noites sem dormir quando esteve com alguma dívida?
Já se aproximou de uma pessoa por que ela tinha influência, dinheiro ou poder?
Já tentou se infiltrar em rodas e ciclos de pessoas mais endinheiradas?
Já ficou em um serviço opressivo por conta do salário.
Já estendeu um namoro ou casamento para além do necessário só por segurança financeira?
Já tentou entrar numa balada VIP?
Já "esqueceu" de devolver o troco?
Brigou com a mãe por causa da mesada atrasada?
Já ficou enfurecido por não ganhar o presente que sonhava?
"Sobrevivência", dizem as pessoas que gostam de ver o lado bom de tudo.
Concordo, mas é parte da explicação.
Não admitimos isso porque pensamos que isso faz parte do dia-a-dia capitalista. Sem dúvidas, são as regras do jogo.
Mas o problema é viver diariamente essas regras e ficar passando por santinho, puro e desinteressado.
Nós perdemos nosso equilíbrio, nossa paz por muitos poucos reais.
Há os que querem fugir dessa realidade amarga fugindo do "materialismo" e escolhendo uma vida frugal. Até acredito neles, mas a conta bancária vai revelar qual é a verdadeira filosofia de vida por trás da santidade.
Você se choca com jovens beldades casadas com velhos, gordos e milionários. Bem-vindo ao mundo da sombra.
A nossa sombra de interesseiros está exposta agora. Estou incluso nisso. Tenho um preço...
É só isso que nós somos? Não, mas essa uma parte pouco contada das histórias de sucesso profissional, amoroso e outras mais.
Meio forte esse texto?
Também acho, aliás essas coisas saem de mim um pouco institivamente. Entre uma sessão de terapia e outra chego a essas conclusões (um pouco pessimistas para alguns ou realista para outros).
Meu objetivo com essas reflexões é levar você, bloggeiro, a mergulhar nas facetas mais obscuras e não menos valiosas da natureza humana. Isso traz a luz da consciência!
Qual é o seu preço?

2 comentários:

  1. Feirante de sábado4 de setembro de 2009 12:02

    Concordo com o texto e pergunto também: qual o seu preço?
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro Feirante de sábado
    Depende da prosposta e para fazer o que?
    (risos)
    Gostei da ousadia!
    Abraço

    ResponderExcluir